terça-feira, 5 de julho de 2011

Projeção dos Salários com a Última Proposta do Governo



Para ampliar é só clicar sobre a tabela.

Para ampliar é só clicar sobre a tabela.

 Para ampliar é só clicar sobre a tabela.

19 comentários:

  1. Companherada percebam os aumentos percentuais na carreira por volta de 80% no início e 40% para última letra. QUE ESTÍMULO A FORMAÇÃO CONTINUADA HEIN!!!!
    O COMPANHERADA DEVEMOS QUERER MAIS PARA UMA CARREIRA NÃO???

    ResponderExcluir
  2. Parece que o Sinte perdeu completamente o foco, (que é o pagamento do Piso no nosso plano de carreira). Ficou apegado apenas nas regências, que já nos pertenciam há muitos anos. Não se fala mais nem no assundo de aplicar o Piso de forma integral e sim em formar:
    "Comissão paritária com início de estudos para restabelecer a tabela salarial com prazo de trabalho de 120 dias"(Sinte).
    120 dias vai para o final do ano, e aí? Como nada vai ser feito vamos ficar novamente com cara de Bobos!!!??
    Por favor colegas do magistério vamos nos manter firmes na GREVE agora, senão ninguém vai querer fazer greve novamente para não dar em nada como está acontecendo agora.
    Quem parou 48 dias para 60, agora é o governo quem tem pressa!

    ResponderExcluir
  3. Estamos lutando pelo piso para não termos que sobrecarregar nossa jornada de trabalho com aulas excedentes.
    A previsão de reajuste do PISO (que não está definido quando será pago)para janeiro é bem otimista.

    ResponderExcluir
  4. É engraçado, mas nessas tabelas apresentadas nunca tem simulação de AE e nem de ATP, por que será??? afinal tambem estavam em greve e nunca foi mencionado nada de tabela nem de gratificação

    ResponderExcluir
  5. e os acts? não trabalham em janeiroe nem fevereiro? e agora?

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber como vai ficar a situação do ACT, afinal ele não tem contrato em janeiro... Vai receber retroativo? O governo não pode esquecer que nós fazemos a máquina funcionar também!

    ResponderExcluir
  7. Guilherme Accorsi5 de julho de 2011 12:18

    Porque reajuste de "15%, no mínimo em janeiro", não é 22% de reajuste, já tão abrindo as pernas antes de chegar o aumento ? QUE ISSO!

    ResponderExcluir
  8. O valor dos vencimentos está MUITO abaixo da tabela proposta pelo MEC! MUITO abaixo, mesmo após esse reajuste de 15% em Janeiro ainda fica MUITO ABAIXO!!!

    TA LOCO ACEITAR UMA PROPOSTA DESSAS!!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. como vcs tem coragem de colocar uma projeção com aulas excedente??como vcs tem coragem de colocar um suposto reajuste em janeiro de 2012?
    vcs estão querendo acabar com esta greve de qualquer jeito e estão menosprezando a nossa inteligência.

    ResponderExcluir
  10. O vencimento de um professor com mestrado 11A em Jan/2012 considerando 15% de reajuste seria R$ 3083,18 (considerando a ultima proposta feita pelo SINTE ao governo) e nessa "proposta" do governo seria R$ 2134, quase 1000 reais de diferença.

    ResponderExcluir
  11. O governador acaba de se pronunciar no RBS e disse que a greve causou um certo desconforto e que se ela continuar irá contratar ACTs. ACTs onde? Faltaram esses profissionais no início do ano letivo. Os ACTs inclusive estão ativamente participando da greve. Conquistas, nenhuma. O piso tomou outro foco. Promessas? Se sequer a Lei é cumprida que dirá promessas. A única coisa boa foi reconhecer que o dinheiro do FUNDEB estava indo para outros poderes...Era nosso, e agora? Quando nos será devolvido, se será. espero que alguns professroes se reunam ao final da greve, juntamente com outros segmentos sociais para exigir a criação do Conselho, porque sem fiscalização irá para o ralo de novo.
    Que façam tb. concurso para ACTs, isso se faz francamente necessário, ou o governo continuará a pintar e bordar. Que greve...Tem professores só pensando no bem do aluno. E no bem de seus filhos, nada. Primeiro o dos outros.

    ResponderExcluir
  12. Profª Carla- E E B de Meleiro5 de julho de 2011 13:06

    Gostaria de saber como fica o pagamento do piso integral na carreira, que foi o motivo real desta greve? O aumento de janeiro deverá incidir sobre a tabela já com o piso integral na carreira.
    Ou ficamos 48 dias parados para receber a regência ,que já tínhamos, parcelada?

    ResponderExcluir
  13. É SINTE, pelo visto vocês desistiram da luta pelo piso no nosso plano de carreira! Estão contentes com o que o governo nos fez engolir e até mostrando tabelas com projeções ou ilusões para 2012, estão fugindo da luta de agora e querendo apostar numa ilusão, porque vocês sabem que o governo não vai cumprir o que promete, e que o nosso plano de carreira vai ser sepultado este ano assim que concordarmos com o retorno das aulas.
    Lamento muito este conformismo com pequenos avanços.
    Se a greve parar agora ela parou prá sempre com relação ao piso, pois não teremos mais o nosso plano de carreira para exigir que o governo o respeite.

    ResponderExcluir
  14. Por que esta tabela não apresenta os descontos do IPREV e do imposto de renda?

    ResponderExcluir
  15. Por que esta projeção não apresenta os descontos tradicionais para sabermos a remuneração... vai dar bem menos do que o 40% anunciado. Calculei um "ganho" de 10,4%.

    ResponderExcluir
  16. Concordo sobre a tabela com a projeção dos AEs, especialistas e ATPs. Por que as AEs continuam com a gratificação da titia Elizete, além da gratificação que as ATPs e especialistas tem???

    ResponderExcluir
  17. A remuneração total na tabela é sem triênios, suponho...
    Os Acts vão peder. Uma coisa seria eles ganharem agora o piso aplicado à tabela. Outra coisa é ganhar agora o valor mordido, confiscado. Só os que voltarem a trabalhar a partir de janeiro(?) receberão valores 'recompostos'. Não tem como pagar retroativo com base nos valores de janeiro( supostamente recuperados) porque os demais não seriam beneficados com retroatividade; vale o que será pago até janeiro e de janeiro em diante.

    Não seria injustiça retroagir para uns e não para todos? Mas é evidente que ACts levam preju e não é pouco. 13º. férias proporcionais, etc, tudo calculado pelos menores valores até janeiro.

    Há muito silêncio jurídico sobre a questão de quem se aposentou dentro das regras atuais, pelo menos no que tange à GRC. Onde fica a segurança jurídica? a aposentadoria ocorre dentro das regras do momento que foi adquirida.Não é mais um ato jurídico perfeito?

    Só um off topic para servir de 'motivação'.
    A Câmara Municipal se SP acaba de aprovar o aumento do prefeito Kassad e de todos os vereadores, sem parcelar nada, com efeitos imediatos, não se esquecendo que ganham outras ajudas como verbas de gabinete, etc. Tudo não 'embutido' dentros dos vencimentos básicos.

    Quando alguém, bem no início da greve, teve a infeliz ideia [ que saiu na imprensa e não desmentida pelo sindicato] de admitir a incorporação do prêmio educar/jubilar ao piso, ali já acenou para o governo a aceitação de perdas...O governo, vampiro como ele só, espertamente concluiu que quem aceita perder uma coisa aceita outras, ainda mais mero remanejamento do que estava em separado no contracheque subindo para o código 'vencimento'.

    Vacilo imperdoável para quem tinha nas mãos a confirmação da decisão do STF que era piso = vencimento básico sem outras vantagens.

    Quem supostamente ganha no pé em que as coisas estão? Os que não recebiam prêmio educar/jubilar, que era só de professores em sala de aula, bem como o assisuidade, e que se viram agora merecedores, turbinando os vencimentos. Em sala ou fora dela, garantem benefícios que antes era só pra sala de aula. Se pode ganhar fora o mesmo que em sala...quem puder sair, que saia; vem ano eleitoral e os sortudos do QI podem conseguir politicamente afastamentos. Vai ser uma debandada e torço para que assim seja.

    Quem perde? professores que recebiam GRC e tiveram valores reduzidos, os que já tinham algum tempo de serviço, meio para final da tabela, e os Acts, que perdem com todos os anteriores sem chance de recuperar, caso não consigam aulas logo em fevereiro com a mesma carga horária de hoje.

    O foco era piso sobre a tabela e fim. Sem oferecer de mãos beijadas mudar o prêmio educar de lugar e sobre ele uma regência de classe reduzida que anula os eventuais pequenos ganhos de triênios sobre o vencimento básico grávido do prêmio educar...

    Ah, mas o governo alega limite de caixa. Então era provar que era mentira, que não tem falta nenhuma, sobejamente demostrado até pelos que vampirizam nossos salários há anos, sobretudo depois de 2008 com o Fundão da Cultura e do Turismo...Uma vez provada a mentira da falta de grana, não tinha por que negociar menos do que o que já temos no plano de carreira.
    Inflaram a pauta com coisas sem repercussão financeira imediatas, para serem realizadas em 120 dias ou mais. Só vão ganhar nos acessórios e não no essêncial.
    Quem não tiver faltas para abonar, nem concurso para fazer, vai adiantar o quê?

    Lia/fpolis

    ResponderExcluir
  18. Sei que o que pedimos ainda não foi atendido.
    Mas analisando todos os cenários, tivemos grande vitória.
    Além do fato que se não assinarmos nada com o governo sobre o piso, assim que sair o acordão temos a possibilidade de implantação inediata.
    No mais é isso, espero que se voltarmos, não nos sintamos derrotados, mas sim iniciando uma luta que a tempo não acreditavamos mais.
    Um abraço a tod@s

    ResponderExcluir
  19. PROFESSORES, COMANDO DE GREVE E SINTE VOCÊS VÃO DEIXAR ESTE MOVIMENTO HISTÓRICO SEM GANHOS REAIS NO PLANO DE CARGOS E SALARIO DE VOCÊS JUSTO AGORA QUE A SOCIEDADE ESTA LHES APOIANDO? VÃO DEIXAR QUE OS POLITICOS CONTINUEM DESVIANDO O DINHEIRO DA EDUCAÇÃO, SAÚDE, SEGURANÇA...? A HORA É AGORA LIGUEM PARA TODOS OS SEUS CONHECIDOS DE NORTE A SUL... É UM DIREITO DE VOCÊS. E SE NÃO CONQUISTADO AGORA, ESQUEÇAM. NÓS PAIS QUEREMOS VOCÊS FELIZES COM SEUS ALUNOS E CONTENTES COM SEUS DIREITOS ADQUIRIDOS.
    ABRAÇOS A TODOS QUE ESTÃO NA LUTA E AMAM SUA PROFISSÃO.

    ResponderExcluir