domingo, 3 de julho de 2011

SINTE/SC marca assembleia estadual para 4ª feira (6 de julho), em Florianópolis

O Comando Estadual de Greve, reunido neste domingo, marcou para 4ª feira - 6 de julho - assembleia estadual dos trabalhadores em Educação da rede pública estadual, em Florianópolis.
O local da assembleia será divulgado nas próximas horas.

18 comentários:

  1. COMO QUE VOCÊS ENTRARAM NESSA DE PARCELAR A GRATIFICAÇÃO?

    O GOVERNO FOI MUITO ESPERTO AO USAR A TÁTICA DE COLOCAR O "BODE NA SALA" - LEIA-SE DIMINUIR AS GRATIFICAÇÕES E VOCÊS ENTRARAM NO JOGO DELES.

    A GREVE FOI E É PELA APLICAÇÃO DO PISO!!!

    ESQUECERA?
    MAIS UMA VEZ ESTÁ DEMONSTRADO QUE O COMANDO NÃO ESTÁ SINTONIZADO COM A CATEGORIA!

    CHAMAR PARA ASSEMBLÉIA ESTADUAL SEM NADA?
    QUE DESGASTE.
    OU É UMA TÁTICA PARA A CATEGORIA SE RENDER?

    ESTÃO CANSADOS?

    NÓS TAMBÉM ESTAMOS, MAS COM O TÉRMINO DA GREVE NUNCA MAIS PODEREMOS PENSAR EM LUTAR POR ALGUMA COISA, ESTAREMOS DECRETANDO A MORTE DE NOSSO SINDICATO E DE TODA A CATEGORIA, NUNCA MAIS PODEREMOS PENSAR EM LUTAR POR UMA MIGALHA SEQUER.

    EM TEMPO, COM ISSO O O GOVERNO VAI TER O RESPALDO LEGAL PARA ACABAR COM O NOSSO PLANO E JAMAIS, REPITO JAMAIS PAGARÁ O PISO!!!!

    Maria Aparecida

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Aceito parcelar.
    Mas como fica o ATP?
    Como ficou nossa gratificação?

    ResponderExcluir
  4. que? incabível negociar regencia...incabível. é uma afronta. tem que pagar e pronto. já. è um absurdo chamar uma assembléia estadual pra discutir isso! acho que agora quem deveria se recusar a negociar, é a categoria, até que o governo pague os descontos, reponha nossa regencia roubada, não retornamos as negociações.
    popem a grana que é fazer uma assembléia estadual, gente...tremendo esforço. qiuero ver quem da executiva vai ter a coragem de defender perante a categoria que " tudo bem parcelar regencia" QUEM ???????

    ResponderExcluir
  5. Olha vcs que dizem que não devemos negociar, o que estavam fazendo nos últimos anos?????
    Pelo que me lembro nas escolas em que trabalhei meio que conformados com tudo... inclusive com a incompetência alheia!!!!
    Não me venham com tamanha indignação agora?!
    Agora é atenção e competência acima de tudo!
    Aceito essa proposta e proponho sermos melhores do que nunca!!!!!!!
    Abraços, professores grevistas e que se dedicam.

    ResponderExcluir
  6. ADRIANA MOURA DE MORAIS/NOVA VENEZA4 de julho de 2011 01:54

    EU JA FALEI... SE NÃO RESPEITAREM NOSSOS DIREITOS NAS NEGOCIAÇOES O SINTE PODE ME ESQUECER.NEM COM REZA BRAVA EU FAÇO MAIS UMA LUTA..MANIFESTO..OU QUALQUER COISA.. ADRIANA (NOVA VENEZA) O governo está subestimando nossa inteligência ao parcelar uma coisa que já era nossa. E o piso como é que fica?? É por ele que entramos na greve. Por mim a greve continua.SE O SINTE NOS TRAIR VAO SE ARREPENDER

    ResponderExcluir
  7. Prof. Tobal - EEF Venceslau Bueno4 de julho de 2011 03:52

    Colegas profs,

    Vocês já repararam que a maioria dos profs. que querem abandonar o barco não assinam, nem dizem a qual UE pertencem? Pois é, CUIDADO com os "professores" anônimos que postam apenas para desmobilizar a categoria. Temos informações de fontes seguras que muitos pelegos e comissionados estão levando um extra pelo serviço "na rede". Eles já perceberam que a Internet é instrumento decisivo para nossa mobilização. E o mesmo vale para o Blog do Moacir - têm boca (ou dedos) alugada por lá!

    Querem mais? Também é de nosso conhecimento que estão mandando os diretores e gerentes meterem o "terror" nos grevistas. Nas palavras de um poderoso "é para pegar pesado". E também que o assédio moral está sendo prática frequente, inclusive dentro do próprio órgão central - SED - com funcionários, mesmo que concursados (sim, existem alguns ainda por lá... Perdidos no meio dos apadrinhados que caem de paraquedas). A censura está grande! Muitos colegas repararam que nas últimas manifestações em frente à SED os funcionários não mais aparecem nas janelas, não? É a ditadura que voltou!

    Agora o mais importante:

    Tenhamos consciência política e coerência. Não podemos nos sujeitar a voltar às salas de aula com migalhas do que É NOSSO POR DIREITO.

    Nossa luta é pelo Piso na Carreira! A regência é sagrada, conquista histórica e não se mexe.

    ResponderExcluir
  8. Prof. Tobal - EEF Venceslau Bueno4 de julho de 2011 03:54

    Vamos honrar a luta de nossos colegas mais experientes; de nossos mestres que já estão fora de sala; dos nossos colegas que estão acampados, sofrendo e passando privações por todos nós!
    Colegas, vamos manter nosso movimento firme e forte, porque GRUPO DE ESTUDOS NÃO PÕE COMIDA NA NOSSA MESA! Queremos compromisso formal e datas p/implementação do Piso na Carreira.
    No ano que virá teremos - por lei - reajuste de 22% e o Ministro da educação inclusive já alertou o Gov. Colombo. Se retornarmos agora, com esta proposta, no ano que vem ele vai concluir a recomposição do que já era nosso e alegar que já está nos cedendo o reajuste legal previsto - podem anotar! Eis a grande jogada do governo.
    Mais motivos? Se nós, simples e mortais professores, já temos a maior dificuldade em conseguir alguma informação com a tal de "estadual" que nos representa nas negociações, até num dia como o de hoje (na verdade ontem... Eu que não consegui dormir ainda), imaginem como será para que saibamos dos andamentos do "grupo de estudos" se findada a greve. Teremos de escrever ao Moacir Pereira para saber algo também? Esse grupo de estudos é coisa para que nós esqueçamos... Esta é a realidade.

    E os ACT's (meu caso, inclusive)? Eles terão este aumento quando, se o contrato acaba no final do ano e não há garantia de recontratação.
    As mudanças na Lei dos ACT's ocorrerão? Não se falou mais sobre isso. Os professores efetivos que estão pensando em voltar ao trabalho poderiam pensar um pouco nos ACT's que bravamente engrossaram o movimento; ou agora nos abandonarão?
    E o SINTE? A mídia e o governo estão dizendo que foi a nossa "estadual" que pediu o parcelamento da regência... Será que todos estão inventando estas informações? Quero crer que todos estejam mentindo.
    Mas por que o Sindicato ou a "estadual" não se manifestaram após a rodada de negociação de hoje? Por que não falaram ao Sr. Governador que a nossa regência está fora de pauta e não se mexe? Por que não chamaram assembleia estadual antes e estão a chamando agora?
    Tenho mãe professora e desde guri até os dias de hoje escuto a mesma coisa: o SINTE é um sindicato fraco, não nos representa e blá blá blá... Já falei para vários colegas e repito aqui: esta é a hora do SINTE recuperar toda a credibilidade, de renascer junto com a categoria, que nas palavras de um recente ex-governador de nosso Estado, "estava morta".
    Porém, se o Sindicato fazer joguete para induzir a categoria a voltar sem nada, ou melhor, com menos do que tinha antes; aí eu farei festa quando a última pá de cal cair sobre seu caixão. Mas infelizmente, morrerá novamente com ele nossa categoria, por pelo menos mais 20 anos.
    Vamos seguir então fortes nessa luta e apostando todas as fichas no nosso Sindicato, mas totalmente atentos - inclusive com a possibilidade de "fogo amigo". E que ele realmente represente a vontade da maioria da base da categoria.

    Saudações a quem tem coragem!

    ResponderExcluir
  9. Julio C. B. Jacinto. E.E.B Germano Wagenfhur- Porto União4 de julho de 2011 07:47

    Concordo com o colega ia de cima. No caso dos act´s como teremos a reposição da regência sendo que nosso contrato caduca em dezembro? De qualquer forma o salário aumentaria ou aumentará ano que v em conforme decisão do STF. Muito embora também sinta o desgaste desta greve voltar com menos do que entramos é uma derrota moral.

    ResponderExcluir
  10. Duda Vieira

    Em Cartaz: O PASTELÃO CATARINENSE: Paciência tem Limite.

    Queridos professores, Pastelão é aquela modalidade de cinema onde o ator principal, para criar uma cena de riso, sofria algum revés, torta na cara, queda, balde de água, chute, etc., objetivando criar um clima de humor e forçar a platéia a rir.
    O que os catarinenses estão assistindo nos primeiros seis meses de Governo Colombo/Pinho Moreira é digno de um filme de Stan Laurel e Oliver Hardy (O gordo e o Magro) com todo o respeito que os verdadeiros artistas merecem.
    Os artistas catarinenses iniciam o filme propondo uma economia de 1 bilhão de reais. Roteiro simples de materializar, não nomear secretários nem comissionados e deixar a saúde, educação e segurança (coadjuvantes) a pão e água nos três primeiros meses e o resultado é 1 bilhão de economia.
    O pastelão segue com a discussão sobre a fundação de um novo partido. Quem lidera o processo em Santa Catarina? Raimundo Colombo, com apenas 120 dias de vitória do partido Demo, ex PFL, ele o abandona. Todas as energias estão canalizadas para o novo partido. A cena hilária, o tapa na cara da platéia, é que até defunto assinou a ficha de fundação do novo partido.
    Surdos e mundos aos reclames da platéia, ignorando uma lei Federal, questionada pelo próprio governo estadual, estoura a greve dos nossos mestres e professores. Para gerar a cena de humor o artista principal, Sr. Colombo, viaja para Europa, deixado a frente das negociações Pinho Moreira/Tebaldi e Dechamps, um trio que nos lembra outro trio, ahhh lembrei, os três patetas (Moe, Larry e Cutly). Nova cena de riso, os três bolam uma medida provisória estipulando o piso do magistério, o filme termina com a platéia (professores) AREMESSANDO um enorme não na cara dos artistas principais, sendo aplaudidos de pé pela sociedade catarinense. O trailer do próximo filme: O Gordo e o Magro em Brasília. A cena de riso e humor e o famoso passa fora (pé na b..) que os dois personagens recebem no Ministério da Educação, pois o roteiro continha cenas de desvios de finalidade do FUNDEB, naturalmente que os financiadores do FUNDEN não aprovaram a arte final.
    E o roteiro de cenas que nos fazem rir continuou, e o povo catarinense assistindo a tudo, incrédulo com tamanha versatilidade dos atores Colombo/Pinho Moreira/Tebaldi/Dechamps/Serpa/Ubiratan Rezende, para fazerem graças.
    Novo Pastelão protagonizado novamente pelos três patetas (Colombo/Pinho Moreira/Tebaldi: Rei morto, Rei Deposto” Chamar o Comando de Greve para nova negociação, sabendo-se que o Governador e Tebaldi no Oeste, Pinho Moreira, na formatura da filha, e delegar a quem não tem poder nenhum de negociar (Dechamps) é sem dúvida mais um pastelão. Até quando irão brincar com a paciência da sociedade catarinense?? Até quando pretendem humilhar os nossos professores??
    O valoroso diferencial do atual movimento pela transformação e valorização da educação catarinense liderado por nossos mestres é que o componente político partidário deu lugar a manifestação de caráter cívico, onde cada um e de cada uma dos que estão engajados nessa luta que não é somente por salário, mas sim por dignidade, respeito, amor próprio, amor pelo próximo, amor pelas nossa crianças e adolescentes.



    Senhores Professores, essa greve vai ter um fim, mas os ensinamentos ficarão para sempre. Que fique a lição dos nossos mestres. Sempre que um governo tirano se recusar a cumprir uma lei, relega-los a segundo plano, ou ousar não recebe-los para dialogar ou atender reivindicações justas, vocês já temos o roteiro de um épico histórico nas mãos, cujo final é a nossa sociedade que definirá.
    Professores em Greve, com a paciência se esgotando, continuo apoiando essa luta.

    Duda Vieira – Florianópolis - Servidor da Saúde

    ResponderExcluir
  11. Só gostaria de deixar um comentário a ser levado em consideração nas assembléias:
    A categoria dos professores já abriu mão de alguns direitos conquistados, como premio educar e jubilar, e não venha me dizer que estes valores foram INCORPORADOS. Se você tem um salário de R$ 1187 e incorpora um abono de R$ 200 seu salário passa a ser R$ 1187 + R$ 200, ou seja, R$ 1387, não foi isso que aconteceu, o que aconteceu é que o abono foi extinto.
    Não vamos abrir mão de direitos adquiridos, na próxima reunião que o governador começar a fazer propostas em cima da regência de classe e aulas excelentes, sugiro ao SINTE que esclareça ao nosso Governador que os valores já estão definidos e são direitos garantidos, não estão em negociação, ele tem de se ater a reivindicações da categoria e não ficar distorcendo os fatos. Se deixarmos os Governados tirar nosso foco de luta o que aconteceu nos comentários da postagem anterior, vai piorar muito, temos companheiros de luta sendo jogados uns contra os outros, companheiros duvidando da capacidade de nossos representantes (SINTE) que até o momento se mostrou forte em todos os eventos.
    Não podemos deixar o Governador ficar fazendo joguinhos com a classe dos professores, o que está sendo reivindicado é apenas o que nos foi garantido por lei, O PISO DO MAGISTÉRIO. Já sedemos os abonos, não se fala mais em negociar direitos adquiridos....

    ResponderExcluir
  12. Calma pessoal, A GREVE NÃO ACABOU!!!
    São apenas infOrmações veiculadas em relação as NEGOCIAÇÕES….
    Não saiam em desespero, chutando o “balde” (sem trocadilhos aqui) achando que tudo está encerrado.
    Não está não… Não se não quisermos… Nós, a CATEGORIA, somos os detentores da decisão a ser tomada!!!
    Tenham isso em mente…

    Novamente repito: estamos todos/as muito cansados/as, com os ânimos a flor da pele…
    Apesar de que há muitos companheiros/as que devem estar mais cansados do que nós
    e não apenas com os ânimos a flor da pele…
    Refiro-me aos/as GUERREIROS/as acampados na SED e ALESC com este frio cortante!
    Além de esbravejar, alguém se preocupou um pouquinho com eles???
    Alguém saiu do quentinho de suas casas para estar lá no acampamento puxando “uma prosinha” pelo menos?
    Sim alguns/as fizeram isso sim… E talvez por isso estejam menos irritados…

    Quanto as últimas negociações… O SINTE/comando de greve novamente fará o que tem feito minha gente! Levará a proposta a CATEGORIA! E a CATEGORIA é quem indica em seu “termômetro” de ânimo, participação, disposição, etc. se há possibilidades de continuidade ou não! Portanto, o que precisamos aqui é cabecinha mais fria, ânimos mais amenos e disponibilidade para gritarmos em coro se queremos prosseguir na greve ou se recuaremos…

    Eu tenho minha opinião bem formada e penso, conforme já falei em outros post, que não avançamos de fato
    e portanto devemos sim CONTINUAR EM GREVE!!!

    ResponderExcluir
  13. Podemos abrir mã só do prêmio Juliar e Prêmio Educar.

    Devemos sair de greve somente quando os valores de regência 40 e 25 e o percetual das aulas excedentes voltarem como era antes. Caso contrário, a greve continua.

    É difícil e cansativo, mas se aguentarmos firmes mais uns dias , conquistaremos aquilo que nos é direito e voltaremos vitoriosos às salas de aula.

    Como falamos em assembleia: "A greve inicia a cada começo de semana".

    Mantenhamos firmes na greve companheiros.
    até voltar a regência ao normal.



    Prof act LUIZ R. Regional Criciúma.

    ResponderExcluir
  14. Colegas,penso que neste momento recuar é um avanço.Podemos voltar em estado de greve,caso o governo não cumpra o combinado,a gente retoma o movimento.Sei que muitos profissionais,por motivos diversos,estarão retornando às aulas essa semana,principalmente pessoal do interior onde o desgaste a nível de comunidade é maior.Perdendo companheiros no movimento,perdemos também a oportunidade de avançar.Por isso,mesmo não tendo nossos objetivos alcançados na íntegra,respeitando a opinião de todos,minha fala na assembléia será pela volta às aulas.Agora é o momento de dar um respaldo à sociedade que está nos apoiando.

    ResponderExcluir
  15. Profª Carla -EEB de Meleiro4 de julho de 2011 13:40

    Terminar uma greve pensando em outra nem pensar, aí sim nossa categoria seria taxada de vadia e irresponsável e nunca mais contaríamos com o apoio da sociedade.
    Para encerrar o movimento precisamos de conquistas e não perdas( regência).
    Proposta do governo ( escrita, assinada e protocolada) para pagamento do piso na carreira parcelado, mesmo que a looooooooooooongo prazo seria motivo para voltarmos para sala de aula imediatamente, pois em promessa de político fica difícil acreditar.

    ResponderExcluir
  16. SOU PROFESSOR ODILON DA EEB. GOV. IVO SILVEIRA, PALHOÇA

    QUERIDOS COLEGAS SE RETORNARMOS O QUE DIZER PARA OS ALUNOS, O QUE CONQUISTAMOS COM ESSA FORTE GREVE E CONSIDERADA LEGAL?

    NÃO É HORA DE PARAR VAMOS FIRMES E FORTES PRA FRENTE, VOLTAR COM MIGALHAS É RETROCEDER.

    A GREVE DEVE CONTINUAR

    ResponderExcluir
  17. Porque será que tem gente que fica tentando fazer a cabeça dos outros pra terminar a greve com menos do que começamos. Parem de roer a corda. O governo que ache uma alternativa sem por a mão na nossa regência. Que é isso minha gente? sofrer tanto pra voltar com as mãos abanando. O SINTE que não se sujeite a esse despapupério. Vamos continuar. GREVE. COLOMBO PROFESSOR NA RUA A CULPA É SUA

    ResponderExcluir
  18. acho q o Sinte não está negociando em nome dos professores, uma pena, já que dessa forma enfraquecerá e perderá seus aliados. depois da greve minha desfiliação já está decidida. Tenho que confiar naquele q me representa, não é isso q vem acontecendo. negociar regência! fala sério!

    ResponderExcluir