quarta-feira, 22 de junho de 2011

Governo recua e retira ação de ilegalidade da greve

Sinte entra na justiça para evitar descontos dos dias parados

Nesta 4ª feira, 22 de junho, às 15h30, o SINTE/SC, através de sua assessoria jurídica, ingressou com uma ação na Justiça para suspender os descontos promovidos pelo Governo do Estado contra os grevistas e pela ilegalidade da greve. O Governo, aleatoriamente, promoveu os descontos dos dias parados sem respeitar a liberdade de organização sindical dos servidores públicos estaduais.

A pressão do SINTE/SC foi importante para que o Governo do Estado voltasse atrás na decisão solicitar a ilegalidade do movimento de greve do magistério público estadual, que hoje completa 33 dias. O anúncio do recuo do governo foi feito no final da tarde de hoje e mostrou grande avanço na luta dos trabalhadores para restabelecer o diálogo com o Governo Estadual.

A suspensão da ação do governo, além de mostrar a força da greve, deixou claro a possibilidade de voltarmos a negociar nossa pauta de reivindicação, que tem como ponto chave a implantação do Piso na carreira sem alteração da tabela salarial.

A mobilização do magistério na ALESC resultou na interlocução dos deputados em intermediar a pauta do magistério que luta pela valorização profissional e pela educação pública de qualidade para todos.

Outras manifestações de apoio à greve do magistério também tem sido feitas; o Conselho Estadual de Educação, reunido na tarde de hoje, abriu espaço para o SINTE/SC e demonstrou disposição em intermediar junto ao governo o atendimento da pauta da magistério.

Também hoje, o SINTE/SC esteve reunido com o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Luiz Roberto Herbst, que respondeu positivamente à solicitação de uma audiência para discutir a distribuição dos recursos do FUNDEB no estado. Outros órgãos, como o Tribunal de Justiça. O Ministério Público, UDESC e ALESC também devem receber o SINTE/SC em audiência.

7 comentários:

  1. AGORA VEJO UMA POSSIBILIDADE DE ACERTO.

    MAS CONTUDO DEVEMOS PERMANECER FIRMES,POIS SE O GOVERNO SENTIR QUE SÓ PORQUE VÃO NEGOCIAR E ALGUÉM RETORNAR ANTES, O SINDICATO E O COMANDO DE GREVE PERDEM A POSSIBILIDADE DE BARGANHAR ( CONSEGUIR MAIS ALGUMA COISA)

    QUANDO A GREVE ACABAR DEVEMOS TODOS E DIGO TODOS IR A ASSEMBLEIA ESTADUAL,SÓ ASSIM SAIREMOS FORTALECIDOS PARA UMA PRÓXIMA ( PORQUE VAI TER PRÓXIMA).

    ELEANDRO S. MAIER / PASSOS MAIA-SC

    JUNTOS SOMOS FORTES!!!!

    ResponderExcluir
  2. TJ, Alesc, TC, MP e UDESC vão receber os Sinte para agradecer tudo que ganharam e que nos pertencia? Vão pedir desculpas e devolver o que JÁ embolsaram enquanto a gente esperava 3 longos anos? Vão dizer que não sabiam?

    Lia/floripa

    ResponderExcluir
  3. Fora Colombo!
    Fora PMDB!
    Fora DEM!

    ResponderExcluir
  4. e o outro partido que ele se filiou agora né? nem sei o nome.kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Lutadoras e lutadoras do magistério público de SC, o que estamos fazendo é muito lindooooooo, honrado e decisivo para o futuro da educação catarinense. Este é o verdadeiro papel dos educadores. Nosso movimento está revelando os desmandos atuais e históricos, pois, os maiores bandidos para nossa educação sem dúvida foram os Senadores LHS e o Bauer que nos massacraram. Os atuais Colombo e Cia, demonstram despreparo com suas trapalhadas irresponsáveis,precisam parar de brincar. Tem uma imformação sobre o Secretário Adjunto Deschamps: que quando comandava a FURB desrespeitou os Professores Universitários em greve o que lhe custou o cargo. Força!! Até a vitória!

    ResponderExcluir
  6. Profº Renato Luiz Menze - Baln. Barra do Sul -27 de junho de 2011 00:28

    Depois destes atos e descobertas administrativas de governos corruptos e inconsequentes, a Educação em SC não será a mesma (cabisbaixa, temerosa, amedrontada, desacreditada, sem conhecimento das falcatruas,...), mas sim a educação pujante que não mascarará números para o Ideb que s SED sempre aterrorizou. Caso não alcançássemos tal índice verbas não viriam para a escola e muito mais.... Isto é um basta terminante no desdém que a classe política e os (in)competentes secretários e diretores das instituições educacionais nos impunham. "Uma vara quebra-se facilmente, um feixe de varas jamais será quebrado". Avante amigos que a luta continua sem arredar 1 mm sequer. Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Profº Renato Luiz Menze - Baln. Barra do Sul -27 de junho de 2011 00:42

    Agora tem o revés da moeda: será que a Procuradoria Federal Pública irá indiciar estes surrupiadores do erário, ou discursarão em no me de uma tal "governabilidade". Chega de irresponsabilidades srs. tenham um pouco de vergonha na cara e assumam os papéis que lhes cabem numa sociedade democrática e pluralista. Façam a tarefa de casa corretamente. Se necessitarem estou à disposição para ajudá-los. Abraços.

    ResponderExcluir